UTILIZAÇÃO




A utilização de células-tronco e plasma rico em plaquetas na Medicina Veterinária Equina é realizada para aumentar o desempenho atlético dos animais ou tratar lesões e patologias.

As células-tronco apresentam quimiotaxia por tecidos lesados e/ou inflamados, e sua atividade regenerativa e anti-inflamatória impede o desenvolvimento de patologias ortopédicas se houver instalação precoce em tecidos com lesões em fase inicial.

+ Tendinites

Terapia celular indicada: Células-tronco e plasma rico em plaquetas.
Definição: A tendinite é uma patologia frequentemente encontrada em animais de esporte, e apresenta cicatrização lenta que é devida à pobre vascularização e à atividade mitótica das células do tendão. O esforço exagerado causa distensão ou, em alguns casos, rompimento das fibras tendíneas. Os sinais clínicos da tendinite em equinos são claudicação, aumento de volume, calor e sensibilidade ao toque do tendão acometido. Novos estudos observaram que a aplicação de células-tronco ou plasma rico em plaquetas em tendões lesados propicia melhora da reorganização tecidual e cicatrização mais rápida.



+ Desmites

Terapia celular indicada: Células-tronco e plasma rico em plaquetas.
Definição: As desmites são importantes causas de claudicação em equinos. Os tratamentos convencionais para esta patologia utilizam anti-inflamatórios e repouso; entretanto, pesquisas atuais demonstraram que a eficiência do tratamento com células-tronco associado ou não a plasma rico em plaquetas é maior para esta afecção em equinos.



+ Osteoartrites

Terapia celular indicada: Células-tronco e plasma rico em plaquetas.
Definição: A osteoartrite é a principal causa de claudicação em cavalos. Esta patologia é caracterizada por uma deterioração progressiva da cartilagem articular, com a presença de sinovite, capsulite e alterações ósseas. O tratamento das lesões articulares utilizando os métodos convencionais é limitado; entretanto, novos trabalhos demonstraram que as terapias celulares com células-tronco e plasma rico em plaquetas auxiliam na reparação articular e na melhora dos sinais clínicos.



+ Fraturas

Terapia celular indicada: Células-tronco.
Definição: O tratamento de fraturas de membros em equinos é complicado e apresenta prognóstico reservado. Trabalhos observaram bons resultados clínicos e melhor reparação tecidual na utilização de células-tronco associada aos tratamentos convencionais de fraturas em cavalos. As células-tronco aceleram o processo de reconstituição óssea, proporcionando ao animal o retorno mais rápido a suas atividades.



+ Endometrite persistente pós-cobertura

Terapia celular indicada: Plasma rico em plaquetas.
Definição: As éguas acometidas de endometrite persistente pós-cobertura apresentam rápida infiltração de neutrófilos no útero uma hora após a inseminação artificial ou cobertura natural, o que causa edema uterino exacerbado com acúmulo de fluído, útero distendido, diminuição da duração do ciclo e histórico de repetição de cio. Estudos recentes demonstraram que a infusão de plasma rico em plaquetas no útero, no momento da indução da ovulação ou quatro horas após a inseminação artificial, funciona como modulador da resposta inflamatória uterina, aumentando as taxas de fertilidade das éguas com endometrite persistente pós-cobertura.



+ Fibrose uterina

Terapia celular indicada: Células-tronco.
Definição: As alterações degenerativas fibróticas do endométrio uterino de éguas podem ser causadas por sucessivas inflamações uterinas ou pela idade avançada, e induzem à queda de fertilidade. Estudos recentes demonstraram que a aplicação de células-tronco no útero de éguas com alterações degenerativas causa remodelação tecidual, com diminuição do tecido fibrótico no endométrio destes animais.



+ Patologias da cérvix

Terapia celular indicada: Células-tronco.
Definição: As patologias da cérvix são causadas por partos distócicos ou pela manipulação inadequada durante as coletas de embrião, e predispõem ao desenvolvimento de patologia uterina, como a endometrite. A aplicação de células-tronco melhora as alterações cervicais de éguas, principalmente as fibroses.



+ Paralisia do nervo facial

Terapia celular indicada: Células-tronco.
Definição: A paralisia facial é causada principalmente por traumatismos do nervo facial, que leva à queda ipsilateral da orelha, ptose palpebral e labial e desvio das narinas e língua. O prognóstico desta patologia é reservado; entretanto, trabalhos atuais demonstraram que a terapia celular com aplicação de células-tronco promove a melhora dos sinais clínicos desta doença em equinos.



+ Feridas

Terapia celular indicada: Células-tronco e plasma rico em plaquetas.
Definição: Os equinos apresentam características de cicatrização tecidual que predispõem a complicações na cicatrização de feridas. As feridas dos membros locomotores de cavalos apresentam cicatrização lenta e alto custo de tratamento. Estudos demonstraram que a aplicação de células-tronco associadas ao plasma rico em plaquetas em feridas de equinos acelera o processo de cicatrização, possibilitando tratar feridas crônicas.



+ Entre outras